Entre em contato por E-mail
@sac@dvirtua.com.br
Google vira operadora de celular com Projeto Fi
 
22/04/2015
O Google anunciou oficialmente o seu serviço de conexão móvel. Nas últimas semanas, os rumores sobre o assunto haviam ganhado força. O Projeto Fi foi lançado hoje pela empresa. Inicialmente, o serviço não está completamente aberto e poderá ser assinado apenas por convidados. Outra exigência para o uso do Projeto Fi é ter um smartphone Nexus 6 – telefone lançado em parceria entre o Google e a Motorola no ano passado. Para usar o Projeto Fi, será necessário um cartão SIM específico. Ele funcionará tanto com os Nexus 6 que já foram vendidos, quanto com aparelhos a serem adquiridos. O Projeto Fi chega com algumas diferenças na oferta da conexão. A primeira grande diferença é que o Google irá cobrar apenas pela franquia de dados que o usuário utilizar. A tabela de preços é de 10 dólares por GB. “Como é difícil prever seu uso de dados, você receberá crédito pelo valor dos dados não utilizados. Digamos que você escolha 3 GB por 30 dólares e use somente 1,4 GB. Você receberá 16 dólares de volta, então você vai pagar somente pelo que utilizar”, explica o Google. Além disso, o Google cobrará 20 dólares por um pacote ilimitado de ligações domésticas, mensagens de texto e cobertura internacional em mais de 120 países. As ligações internacionais são caracterizadas como “baixo custo”, seja lá o que isso signifique para o Google. O funcionamento será em parceria com as operadoras T-Mobile e Sprint. O Projeto Fi irá procurar o melhor sinal e se conectar automaticamente – além das duas operadoras, o sistema também usará redes Wi-Fi que sejam registradas no Projeto Fi. De acordo com o Google, o número telefônico fica na nuvem. Com isso, será possível fazer ligações e enviar mensagens usando o número sem estar com o telefone – será possível fazer isso de um notebook, por exemplo. O projeto está em fase inicial. O Fi está sendo oferecido somente nos Estados Unidos, por enquanto. Em um mapa é possível ver que boa parte do país já conta com cobertura, mas existem grandes áreas que ainda não têm sinal do Projeto Fi. FONTE: EXAME.COM